sábado, 20 de dezembro de 2014

Nota Explicativa da Paróquia Senhor Menino Deus II

Ao Senhor Menino Deus, servimos com Maria, 

na alegria de ser povo,  construindo um mundo novo!”


Ainda sensibilizados com os acontecimentos que tiveram início às 17h07min do dia 16 de dezembro de 2014, quando a promotoria protocolou na prefeitura o ofício número 662/2014, e que se encerrou com o soardos sinos da Igreja Matriz, às 17h40 do dia 18 de dezembro de 2014, achamos conveniente destacar:

1.    Somos responsáveis pela falta da documentação necessária para a realização da 142ª Festa do Senhor Menino Deus. Conforme “Nota Pública” da promotora de justiça, “documentação essa, aliás, que deveria, há tempos, já ter sido providenciada pela Igreja Católica. Realmente uma falha grave, embora não por negligência da Igreja. Seguimos sempre o mesmo procedimento dos anos anteriores, sempre visando melhorar a infraestrutura do evento e atender, da melhor forma possível, as reclamações dos vizinhos, instituições e grupos da nossa amada cidade de Piraí do Sul. 

2.    Em nenhum momento fomos informados, de maneira oficial, pela promotoria de justiça, sobre as irregularidades, apenas recebemos uma ligação da assessora da promotora de justiça, no dia 16 de dezembro, questionando sobre as questões de segurança e acerca dos banheiros da festa. Não sabíamos, neste momento, que, em breve, seríamos comunicados pela prefeitura municipal sobre a “necessidade de se aplicar, no âmbito administrativo, as medidas cabíveis, inclusive a interdição do evento (Cf. Ofício 662/2014, do Ministério Público).

3.    Fomos recebidos, no dia 17 de dezembro, pela Promotora de Justiça que nos orientou sobre as atitudes a serem tomadas. Imediatamente, nos dirigimos ao Comando do Corpo de Bombeiros de Castro para tratarmos do assunto e iniciarmos o processo de regularização do evento. Na parte da tarde, o Tenente acusou, de forma escrita, em ofício por nós assinado pedindo a vistoria necessária, que foi dado “início ao processo da liberação do alvarádo Corpo de Bombeiros de Castro. Os documentos que exigiram foram levados, no final da tarde daquele mesmo dia, com as alterações requeridas, mas não foi possível protocolar, ainda devido a irregularidades. Neste momento, tomamos consciência da impossibilidade de acertamos tudo para acontecer a festa externa naquele dia. Imediatemanete, a Prefeitura, aplicando o que foi determinado pela Promotoria de Justiça, a pedido do Pároco, a fim de evitarmos problemas posteriores, entregou-nos o Processo Administrativo 3230-2014, que, por impossibilidade de conceder alvará, devido a falta de documentação dos bombeiros, comunicava sobre o dever de “suspender a realização da parte externa da festa. Suspendemos a festa e nos pronunciamos oficialmente no final da celebração com a Nota Explicativa I, que foi também publicada.

4.    Após a celebração das 19h30, na casa do coordenador geral da Festa do Senhor Menino Deus, aconteceu uma reunião, convocada pelo pároco, da qual participaram o Prefeito Municipal, o Pároco, alguns representantes municipais e a Comissão Central da Festa. Foram tomadas algumas decisões conjuntas. Entre elas, a apresentação de nomes de profissionais habilitados para a elaboração dos projetos necessários. A ajuda do Prefeito nesta ocasião foi de extrema importância porque conseguiu que uma engenheira da cidade de Castro nos ajudasse. 

5.    No dia 18, na parte da manhã, a profissional habilitada, com prontidão absoluta, se disponibilizou a ir conosco até o Corpo de Bombeiros. E voltamos a Piraí do Sul para acertar a documentação, enquanto a engenheira, em Castro, fazia a sua parte, sempre em comunicação conosco.  Também uma engenheira denossa cidade, a Sra. Elaine da Luz Ribas, fez aquilo pelo que seremos sempre muito gratos.

6.    Por volta das 14h, recebemos um telefonema da assessora da Promotoria de Justiça, que nos manifestou a preocupação com a festa e questionou sobre os documentos que ainda não havíamos entregue aos bombeiros. É evidente que não havíamos tido o tempo hábil para preparar tudo, mas estávamos concluindo a nossa parte. Foram várias ARTs, declarações e mapas. O trabalho de alguns dias precisava ser realizado em apenas algumashoras, e os minutos passavam rápido demais.

7.    Enquanto finalizávamos a documentação, fomos surpreendidos pela informação de que os Bombeiros estavam dirigindo-se à Piraí do Sul para a realização da vistoria e a recepção dos documentos. 

8.    Enquanto os Bombeiros analisavam a documentação, pedimos que fossem rigorosos na observância dos documentos quanto à questão legal, pois não pretendíamos fazer nada contrário às determinações especificadas. Durante a vistoria, entramos em contato com a promotoria que, atravésda assessora, nos disse que a Promotora enviaria um representante até o local da Festa. Quando a vistoria foi concluída, o representante da promotora se encontrava entre as pessoas que aguardavam a finalização das assinaturas e carimbos do Corpo de Bombeiros nos projetos das estruturas. Devido a problemas técnicos na impressão dos mapas, estes foram chegando as poucos na praça da Igreja Matriz.  Devido à demora, preferimos ir à prefeitura onde tudo foi devidamente concluído. Imediatamente, os bombeiros, sendo extremamente generosos conosco, emitiram o (para nós quase sagrado!) “Certificado de Vistoria Instalação Ocupação Temporária com validade do dia 18/12/2014 a 27/12/2014”.

9.    Com extrema agilidade, a Prefeitura Municipal Emitiu o “Alvará de Localização e Funcionamentoe a Autoridade Sanitária concedeu a “Licença Sanitária da Festa do Senhor Menino Deus. Todos reunidos: Prefeito, Autoridade Sanitária, Bombeiros, Pároco e outras pessoas..., a pedido do prefeito, agradecemos a Deus pela graça recebida, entregrimas e comoção de todos. Por volta das 17h15 os documentos foram recebidos pelo representante da promotoria e, logo após, também nós os recebemos. Ao chegar à Matriz, soaram os sinos e algumas pessoas, profundamente felizes, fizeram questão de comemorar com foguetes a regularidade absoluta da 142ª Festa do Senhor Menino Deus.

10.    Por fim, algumas considerações bem pontuais:

a)    Reprovamos qualquer manifestação violenta ou que coloque em risco a integridade física e moral de qualquer pessoa. Mesmo no dia em que todos estavam “com os nervos à flor da pele orientamos para que se rezasse e depois que cada católico fosse para sua casa. Foi inclusive rezado um terço na praça.

b)    Fizemos todo o possível para que as festas acontecessem, justamente porque os piraienses imploravam pela festa, indignados por uma interrupção de um evento que ultrapassa os 140 anos de realização. Sem dúvida seria muito mais prático para nós, diante de tantas situações, concluir a realização de toda a programação festiva.

c)    Desejamos que todos os sentimentos, de todas as pessoas, sejam transformadas num profundo desejo de amar: os amigos e os inimigos. Ofensas, críticas, atitudes violentas ou manifestações que são humanamente reprováveis, não resolvem a situação e complicam sempre mais.

d)    o revelamos, de forma alguma, o nome de quem fez a denúncia à promotoria e também não acusamos tal pessoa de causar a interdição da Festa. Outras instâncias, usando de suas atribuições, é que fizeram isso.

e)    Recebemos muita ajuda, muito apoio, palavras de consideração e incentivo. 

f)    Os fatos comprovam que a força de um povo unido é muito grande! Maior do que as forças do mundo, porque conta com as bençãos do Senhor Menino Deus. 

g)    Fique claro que, de forma alguma, pretendemos realizar nossos eventos e tudo o que a Igreja realiza fora da rigorosidade da lei. Mas o fato mostra que a história de um povo precisa ser considerada sempre e que, quando tomamos uma atitude ou afirmamos alguma coisa, somos responsáveis pelo que fazemos e dizemos.

h)    O demônio faz de tudo para provocar a divisão. Mas o Menino Deus, na simplicidade de uma manjedoura, une sempre. A união do povo, das autoridades civis e religiosas, as manifestações de pessoas de tantos credos e a mútua colaboração têm uma força incrível. 

i)    Depois de sermos convidados por Deus a enfrentar toda esta situação, maior do que imaginávamos, podemos afirmar: “Amo ainda maiso povo de Piraí do Sul, a Igreja tão marcada pela devoção a Nossa Senhora das Brotas e o Senhor Menino Deus.  Neste momento, sinto-me honrado por ser o Pastor de um povo tão especial! 

O papa Francisco disse na Evangelii Gaudium, n. 24, que “os evangelizadores contraem o cheiro de ovelha e estas escutam a sua voz. Se isto é verdade, quero acolher suas vidas, seus sentimentos, suas lutas seu cheiro  e peço que nada seja esperado ou praticado, além do amor. O Amor é a força que vence, inclusive a morte.




Piraí do Sul, 19 de dezembro de 2014.




Pe Evandro Luis Braun,

roco da Paróquia Senhor Menino Deus